Pratique em Casa

Práticas Físicas No Combate A Depressão

A pandemia do coronavírus mudou a rotina de bilhões de pessoas ao redor mundo e trouxe outras preocupações, além do vírus. No Brasil, os casos de depressão aumentaram 90% em um mês, segundo levantamento da Universidade do Estado do Rio de Janeiro. Pesquisas também mostram que, influenciados pelo isolamento social, muitos brasileiros deixaram de se exercitar e o índice de práticas físicas caiu 20%.

 

A pesquisadora da Faculdade de Medicina da Unesp, em Botucatu , Miriane de Oliveira, explicou que o resultado do estudo representa uma sinalização positiva para a busca por novos tratamentos. Muitos jogadores se infectaram, ficando de 10 a 15 dias em quarentena. A maioria dos infectados permaneceu assintomática ou apresentou casos leves da doença.

Os dados referentes à atividade física não foram associados com nenhum dos desfechos clínicos observados, como hospitalização, necessidade de ventilação mecânica ou internamento em UTI e mortalidade. Havendo desconforto com a máscara, como tontura e aceleração da respiração, reduza a intensidade e aumente o tempo de intervalo dos exercícios. Independentemente do tipo de exercício, fracione a sessão em períodos mais curtos duas vezes ao dia, como 15 minutos pela manhã e 15 minutos à noite, se possível.

O hábito de se exercitar

Os resultados indicam que o fato de os pacientes terem o hábito de se exercitar regularmente antes da internação não foi determinante para o melhor enfrentamento da doença. As práticas físicas não melhoram apenas a imunidade ao longo da vida. Com apenas um treino, sua imunidade fica em alta até aproximadamente duas ou três horas após o término da atividade.

X