medicina estilo de vida

Ir ao médico somente quando apresenta algum sintoma ou se está verdadeiramente doente nunca foi uma opção, muito embora uma grande parcela de pessoas façam isso. Mas a verdade é que, nos últimos tempos, as pessoas têm mudado esse pensamento e buscado apoio médico, mesmo quando não apresentam nenhum sinal de doença. Assim, surge então a medicina do estilo de vida.

Trata-se de uma medicina que tem como foco prevenir que as doenças ocorram, além disso, também estimula as pessoas a terem hábitos mais saudáveis. Muito conhecida nos Estados Unidos, essa especialidade chegou no Brasil há dois anos.

Ganhando diversos profissionais adeptos, a medicina do estilo de vida se baseia em seis pilares. São eles, portanto:

  1. Cuidados com a nutrição;
  2. Realização de atividades físicas;
  3. Bom sono;
  4. Controle sobre o consumo de substâncias tóxicas;
  5. Controle do estresse;
  6. Relacionamentos saudáveis.

Entenda cada um deles funciona a partir de agora:

1 – Cuidados com a nutrição

Trata-se da redução de alimentos gordurosos e industrializados, reduzindo o também, o consumo da carne. Esse pilar visa o consumo de alimentos frescos, como verduras, legumes e frutas, além de grãos e cereais.

Nesse tipo de medicina, montar cardápios que estejam de acordo com a rotina e as condições da pessoa, bem como, realizar avaliações de peso, altura e verificar as vitaminas no organismo são importantes, já que podem facilitar a nutrição do indivíduo e identificar possíveis doenças.

2 – Realização de atividades físicas

medicina do estilo de vida

Para a medicina do estilo de vida não é preciso ser um atleta, mas é importante praticar exercícios regularmente. A Organização Mundial de Saúde indica 150 minutos por semana. Nesse sentido, é possível avaliar as condições do indivíduo para que ele possa sair do sedentarismo.

3 – Bom sono

Medicina do estilo de vida

Ter um bom sono é fundamental, pois é quando estamos dormindo que o organismo realiza funções importantes, como, por exemplo, regular hormônios. Além disso, quando uma pessoa se mantém descansada, ela tende a ter menos fome, já que seu organismo já terá equilibrado todas as suas funções durante à noite. Portanto o recomendado é dormir de 6 a 8 horas por noite.

A identificação de distúrbios do sono, como a apneia, por exemplo, podem ajudar a fazer com que o indivíduo tenha mais qualidade do sono.

4 – Controle do consumo de substâncias tóxicas

O consumo de álcool e tabaco, por exemplo, são responsáveis por causar doenças cardiovasculares e respiratórias. Por isso não utilizar ou reduzir o consumo é importante para a manutenção da saúde.

Pessoas que possuem vícios podem buscar tratamentos específicos, depois de avaliadas pelo médico, que as encaminhará para outros profissionais especialistas.

5 – Controle do estresse

O excesso de trabalho e uma rotina agitada podem ser prejudiciais ao organismo o levando a uma exaustão e aumentando os níveis de estresse, o que é prejudicial ao coração e ao organismo como um todo.

É importante, portanto, que o profissional avalie o grau de estresse do indivíduo, devendo encaminhá-lo para outros profissionais, caso veja a necessidade, como, por exemplo, um psicólogo.

 6 – Relacionamentos saudáveis

Estimular os pacientes a ter relacionamentos saudáveis também uma das funções da medicina do estilo de vida.

Basicamente, em consulta o médico deverá realizar uma entrevista minuciosa de hábitos diários, com quem a pessoa convive, seu tipo de trabalho e muitos outros detalhes para que possa orientar seu paciente de maneira ampla.


DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here